segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Mamãe em dieta: como ficam as crianças?

imagens retiradas da web - autoria não informada
 
 
Domingo chuvoso, criançada dentro de casa, rolou uma torta integral de banana maravilhosa, inspirada em uma que minha mãe fazia. Quando estava preparando a massa, fiquei em dúvida de com o que adoçar: mel, açúcar mascavo, cristal, adoçante artificial. Acabei optando pelo mel e açúcar.
 
A torta ficou uma delícia (vou compartilhar a receita, prometo!), ainda não calculei os macros, mas o dilema do "qual adoçante usar?" ficou comigo. Acabei encontrando este artigo aqui
 
 
Amei o artigo e o blog. E fiquei estarrecida. Que adoçantes não prestavam eu já sabia. Agora, além de câncer, engordam! hahaha... socorro! E se alguns dos adoçantes mais comuns sequer são metabolizados pelo organismo, me parece óbvio que sejam excretados pelo leite materno. E de fato, são. Mas então, o que fazer? Novamente, não tem receita mágica: reeducar o paladar. E isso vale pra mãe e não mães! E de quebra, se você diminuir o açúcar e as coisas excessivamente doces da sua vida e optar por "doçuras" mais naturais e saudáveis, seu filhos também ganharão! Por que você pode ser uma viciada, mas eles não são AINDA!
 
Por isso eu apoio que não se dê ou que se evite ao máximo dar doces para bebês. Sim, sim, eu sei que quando forem pra escolinha eles vão ver os coleguinhas comendo bolachinhas recheadas e vão querer provar. Que vão querer saber o que é refrigerante e vão ganhar balas do papai noel do shopping. MAs isso é QUANDO crescerem. Quando forem adolescentes vão frequentar festinhas e provavelmente experimentarão álcool, quiça até otras cositas mais (ai, Deus me ajude! Não quero pensar nisso agora, hahaha). Nem por isso vou dar cachaça pra o bebê dormir e embora eu tenha bebido espuminhas do chopp do meu pai, hoje em dia essa atitude é quase inadmissível.
 
Você pode poupá-los disso e educá-los para desfrutarem dos "prazeres" do açucar eventualmente, em festas, finais de semana ou lá uma vez ou outra, mas não usá-lo como fonte primordial de energia. Bebês adoram comidinhas naturais e se deliciam com frutas in natura. Não precisam de açucar, muito menos de adoçantes. Pro meu filho mais velho, hoje com quase cinco anos, eu só dei refrigerante com mais de um ano e meio. Na verdade, por que ele nos viu tomando e quis provar. ODIOU! e não toma até hoje (nós também, tomamos eventualmente.).
 
Então mamãe, fica a dica: evite açúcar, principalmente se estiver em cutting e consuma adoçantes com moderação. Na verdade, se algum alimento contiver açúcar mas ficar dentro dos seus macros, é preferível comer a versão normal que a light, justamente pela questão neurológica explicada pela autora do artigo. Principalmente se você amamenta. Ou, se possível, troque-o por outro alimento (escolher alimentos adequados é uma arte!) que dê ao seu cérebro o carboidrato que ele está pedindo, você dá e ele sossega.  Enganá-lo não é a melhor alternativa e pode te conduzir a um ataque noturno à geladeira (soube de uma pessoa que, na falta de algo doce pra comer, tomou água com açúcar... é mole?).
 
Se for usar adoçante, opte pelos menos agressivos (stevia e sucralose, por exemplo) e tenha compostura, hahaha... E evite ofertá-los aos seus filhos. Não que uma porção do teu mousse de chocolate light, por exemplo, vá prejudicá-lo. Mas achar que o açucar é o vilão e que adicionar adoçante artificial em tudo é a solução pra poder se entupir de doces é um tiro no pé! 
 
Em bulking, continua valendo, quer comer, coma, mas atente para os seus macros e principalmente, para a sua saúde.
 
E deu por hoje, por que comecei a escrever, me empolguei e esse post já foi desmembrado em três e mesmo assim, continua crescendo!
 
Beijos enormes!

Nenhum comentário:

Postar um comentário